Pensamentos

Setembro 19 2014

 

 

Se todos fôssemos mestres, a quem ensinaríamos?

Se de tudo soubéssemos, por que aqui estaríamos?
No entanto, temos diante da vida, na maioria das vezes, uma postura de tudo saber,
de poder emitir ideias, avaliações, estabelecer conceitos…

E cheios de nós mesmos, seguimos com essa ilusão que teimamos em alimentar, buscando cada vez
mais nos auto afirmar.

Em todas as matérias somos doutores. 
A todo instante distribuindo conselhos, pareceres, instruções àqueles que nos ouvem.

Tudo parecemos saber, quando tão pouco conhecemos!
O que será que desencadeou essa nossa postura?

Orgulho? Inteligência? Prepotência? Ignorância?
Todas disfarces do medo.

O medo que nos assola é tamanho, tão grande. 
Por medo de não saber, fingimos saber tudo.
E o pior, convencemos aos outros e a nós mesmos.

Enquanto o medo permanece,
cresce e cria novas formas de nos manter cativos e ignorantes.

Não temos que saber tudo!

Não temos que provar nada aos outros.
Temos que conhecer o medo, lidar com ele e, humildemente, nos apresentarmos á vida como aprendizes.

Pois, o verdadeiro mestre se auto intitula aprendiz!…”

publicado por pensamentoslucena às 13:25

Setembro 19 2014

 

 

Há pessoas…

 

Que querem ser bonitas
para chamar a atenção…

Outras desejam a inteligência
para serem admiradas…

Mas há algumas
que procuram cultivar a Alma
e os Sentimentos.

Essas
alcançam a admiração de todos,
porque além de belas
e inteligentes
tornam-se realmente
Humanos!

publicado por pensamentoslucena às 13:16

Setembro 19 2014

 

 

Um príncipe, orgulhoso de sua realeza, foi caçar em lugar montanhoso e afastado.

A certa altura de seu caminho, viu um velho eremita, sentado diante de sua gruta, e muito atento a considerar uma caveira que tinha nas mãos.

Indignado por não lhe ter o velho dado a menor atenção, nem sequer levantado os olhos, o príncipe aproximou-se dele e disse-lhe: 

- Levanta-te quando por ti passar o teu senhor!

Que podes ver de tão interessante nessa pobre caveira, que chegas a te distrair da passagem de um príncipe de tantos poderosos fidalgos?

O sábio, erguendo para ele os olhos mansos, respondeu, em voz singularmente clara e sonora: – Perdoa senhor. Eu estava procurando descobrir se esta caveira tinha pertencido a um mendigo ou a um príncipe, mas não consigo distinguir de quem seja.

Nestes ossos nada há que me diga se a carne que os revestiu repousou em travesseiros de plumas ou nas pedras das estradas. Eu não saberia dizer se devia levantar-me ou conservar-me sentado diante daquele que em vida foi o dono deste crânio anônimo.

O príncipe, cabeça baixa, prosseguiu o seu caminho, mas a
caçada não teve, naquele dia, qualquer encanto para ele.

A lição da caveira abatera-lhe o orgulho.

Foi através das palavras do sábio que caiu a ficha e ele , o Sr. Príncipe, descobriu que não passava de um ser humano. Igual a todos os outros.

publicado por pensamentoslucena às 13:00
Tags:

Setembro 19 2014

 

 

A vida me ensinou a compreender as pessoas, pois uma pessoa é diferente da outra.

A vida me ensinou que muitas vezes amamos e não somos Amados na mesma proporção, mas amar sempre vale a pena.

A vida me ensinou a estender a mão a quem precisa, embora seja um inimigo.

A vida me ensinou a sorrir, embora esteja com lágrimas nos olhos, o outro pode estar mais triste do que eu.

A vida me ensinou que o sofrimento nos faz mais Fortes e assim compreender melhor o outro.

A vida me ensinou que de cada pedra encontrada no caminho, se faça uma escadaria para se chegar ao topo de mais uma realização.

A vida me ensinou que a beleza esta no coração e não na aparência.

A vida me ensinou a compreender os infelizes que não conhecem e nem sabem o que é o amor.

A vida me ensinou a perdoar aqueles que não são amigos, pois não sabem o significado de amizade.

A vida me ensinou que a solidão é bom para refletir. A vida me ensinou que a essência da vida é o amor.

publicado por pensamentoslucena às 12:45

Setembro 19 2014

 

 

Viver é nadar em mar aberto. É estar atento a todas as possibilidades que existem a sua volta.
Aí, num mar grande, braçada a braçada você vai ajustando o curso, tentando descobrir quando é melhor insistir e quando é melhor desistir e deixar pra lá. Se deixar levar.
O mar da vida, entre batalhas ganhas e ondas perdidas, o nadador avança, recua, volta a avançar.

Se lança, às vezes, sem certeza nenhuma na correnteza do infinito.
E abrir-se a todas as possibilidades é mergulhar na beleza de estar.
O mais importante de tudo é você sentir o coração pulsar, esteja você em situação que estiver, alegre, triste, do jeito que o seu coração mandar.

Mas acredite, que viver é muito bom!

publicado por pensamentoslucena às 12:20

Setembro 19 2014

 

 

Usamos muitas e nem percebemos.
Assumimos vários personagens e nem decoramos textos.
Posamos de várias formas e nem trocamos de vestimenta.

Às vezes até colocamos de propósito.
Se necessário, até fazemos roteiro.
Um traje adequado, faz parte da cena.
Isso é viver. Vivemos atuando.
Representamos da melhor forma.

Mas são representações sinceras, honestas…
Quando colocamos máscaras, perdemos a nossa face.
Perda muitas vezes, irrecuperável.
Ou quem sabe, recuperada tarde demais.
Viva, represente o seu papel na vida.
Mas nunca, nunca perca a sua face.

publicado por pensamentoslucena às 12:03
Tags:

Setembro 19 2014

 

É melhor tentar e falhar que se preocupar e ver a vida passar.
É melhor tentar ainda que seja em vão que sentar-se fazendo nada até o final.
Prefiro na chuva caminhar que em dias tristes em casa me esconder.
Prefiro ser feliz embora louco, que em conformidade viver!

publicado por pensamentoslucena às 10:24

Setembro 18 2014

 

 

O contrário de bonito é feio, de rico é pobre.

Se você fizer uma enquete, ouvirá também que o contrário do amor é o ódio.

Mas o contrário do amor não é o ódio, é a indiferença.

O que seria preferível, que a pessoa que você ama passasse a lhe odiar, ou que lhe fosse totalmente indiferente?

Que perdesse o sono imaginando maneiras de fazer você se dar mal ou que dormisse feito um anjo a noite inteira, esquecido por completo da sua existência?

O ódio é também uma maneira de se estar com alguém.

Já a indiferença não aceita declarações ou reclamações: seu nome não consta mais do cadastro.

Para odiar alguém, precisamos de um coração, ainda que frio. 

Já para sermos indiferentes a alguém, precisamos do quê? De coisa alguma.

Não julgamos seus atos, não observamos seus modos, não testemunhamos sua existência.

O amor e o ódio habitam o mesmo universo, enquanto a indiferença é um exílio no deserto.

 

Martha Medeiros

publicado por pensamentoslucena às 13:28

Setembro 18 2014

 

 

O que é pior: a verdade que derrama uma lágrima, mas que faz você ir em busca de seus objetivos, ou a mentira, que simplesmente te para e que não deixa você ir atrás do que você sonha?

Felicidade é serenidade, e muitas vezes é a conquista dos nossos esforços. Você precisa ter um sonho, pois só assim é que a felicidade fará sentido. Você pode ter sofrimentos no meio do caminho – quem não tem? -, mas ao final, você se levanta, com muito mais força e coragem para viver e lutar por aquilo que almeja.

Quem tem medo de enfrentar essa realidade, sofre muito mais, mas quando criar essa coragem – por que todos nós em algum momento a criamos – sentirá que o tempo passou, e que talvez o que poderia ter sido feito no passado, hoje não adianta mais.

O presente é vivido hoje e se sonhamos com o futuro, devemos começar a construí-lo agora, já, não no amanhã, pois senão, quando esse amanhã chegar, não terá nada reservado. Apenas um vazio, que muitas vezes é frio e silencioso.

Qual será o resultado ou a herança de tudo isso? Remorso, arrependimento, e a certeza de ter desperdiçado momentos mágicos que a vida deu. Os idosos não se arrependem daquilo que fizeram, mas daquilo que deixaram de fazer.

Por isso, não espere acontecer para acreditar. 

publicado por pensamentoslucena às 13:10
Tags:

Setembro 18 2014

 

 

 

Há algumas coisas que são lindas demais para serem descritas por palavras.

É necessário admirá-las em silêncio para apreciá-las em toda a sua plenitude.
As grandes falas servem, frequentemente, para confundir ou doutrinar.

Às vezes, o silêncio é mais esclarecedor que um fluxo de palavras. 

Na realidade, as palavras devem ser a embalagem dos pensamentos. Não adianta fazer longos discursos para expressar os sentimentos de seu coração. Um olhar diz muito mais que um jorro de palavras.

Quanto mais o coração é grande e generoso menos úteis são as palavras.

As verdadeiras palavras não são sempre bonitas e as palavras bonitas nem sempre são verdades.

As grandes mentes fazem com que, em poucas palavras, muitas coisas sejam ouvidas. As mentes pequenas acham que têm, pelo contrário, a concessão para falar e não dizer nada.

Ser comedido com as palavras é uma prova de profunda sabedoria.

Saber ouvir também.

publicado por pensamentoslucena às 13:01

Pensamentos, reflexões e otimismo para seu dia!!!
Mais sobre mim
Setembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

14
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Links
Pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO