Pensamentos

Abril 07 2010

Você já fez uma reforma na sua casa?

Quem já fez sabe o que isso significa. "Reformar a casa é sempre um ranstorno.

Tudo fica fora do lugar. O sofá cede espaço a um monte de areia.

Há cimento por toda a parte e o cheiro de tinta se espalha no ar.

De pouco adianta o planejamento e os prazos.

Sempre surgem vazamentos inesperados, serviços mal feitos e outros imprevistos que aumentam o orçamento e o tempo para terminar a obra.

Para evitar aborrecimentos, há quem prefira passar a vida sem qualquer mudança, optando por se acomodar às falhas e imperfeições.

Mas quem se aventura a enfrentar o desafio recebe, como recompensa, mais conforto e muito prazer.

Nossa vida é como nossa casa.

Um lar que podemos manter como está, ou então, reformar, aumentar, redecorar, por abaixo se for preciso, para reconstruir um jeito melhor. Colocar a vida em obras é também um grande transtorno, com um agravante: você não pode abandoná-la temporariamente, hospedando-se em outro lugar.

Tem que aprender a conviver com a areia, o cimento, a dividir o seu espaço com o pedreiro, o pintor, a desviar de tijolos, dormir com cheiro de tinta, e trabalhar normalmente, ao som do martelo e da serra.

Como se não bastasse, vai chegar a um ponto em que, ao contemplar tudo isso, você vai ter a nítida sensação de que a desordem não terá fim, e amargará o dia em que decidiu abandonar a comodidade do óbvio para buscar novos horizontes, usando a vocação e os talentos que DEUS lhe deu.

Mas, aos poucos, tudo vai tomando forma.

O que foi projeto ganha contornos de lar resplandecente, novo.

Angústias e aborrecimentos ficam no passado e a realidade nova é digna de se admirar.

Por maior que seja a dificuldade de perseguir um sonho, maior ainda é a alegria de vê-lo se concretizar".

publicado por pensamentoslucena às 13:13
Tags:

Abril 07 2010

 

 

 

A  saudade é esse passarinho que vem de  leve e pousa no nosso coração trazendo  lembranças...... 

 
 
 
 

...como  um colibri que beija a flor 

e  traz beleza. 

 
 
 
 

E  ela nem escolhe hora ou lugar, 

só  aparece assim, invadindo inteiramente esse  espaço que consideramos reservado às pessoas  ou ocasiões especiais.

 
 
 
 

Mas  se existe saudade, 

é porque existem sementinhas de ternura plantadas em nós;

pedacinhos  de coisas boas, 

que  talvez nem tenham ficado muito tempo, 

mas  o suficiente para deixar um rastro, 

um  sabor, uma marca, um perfume. 

 
 
 
 

Que  nome dar então a essa falta, 

esse  vazio nostálgico, dolorido e bom que  invade a alma e toma conta do momento? 

 
 
 
 

Essa  viagem que fazemos sem malas e documentos  e que nos leva e nos trás, cheios  de amor e de não sei o quê?

 
 
 
 

A  saudade é uma prova, um certificado, 

carimbado  e assinado embaixo de que não estamos  inteiramente sós e nem vazios. 

 
 
 
 

As  pessoas vêm e vão e ficam assim  se prolongando em nós, 

existindo  pela eternidade do nosso caminho. 

E  amanhã ou depois, 

quando  tudo o que sobrar em nós forem pedaços  do passado, teremos esse coração rico  em histórias 

que  nos farão rir sozinhos e nos sentir  vivos.

 
 
 
 

São  essas as peças que os verdadeiros 

amigos  pregam ao nosso coração. 

Caímos  nessa armadilha e ainda nos divertimos.

 
 
  
 

Aprendemos  assim que sentir saudade é respirar o  amor que plantaram em nós. 

É viver depois repletos desse amor para a vida toda. 

 

 

 

Letícia  Thompson 

publicado por pensamentoslucena às 11:32

Abril 07 2010

 


Você provavelmente já presenciou a cena ou ouviu (ou leu) um história parecida.
A senhora teve seu carro quebrado em meio à um movimentado cruzamento. Isto é um pesadelo para qualquer um, mas ela manteve a cabeça no lugar e estava fazendo o melhor que podia para ligar seu carro. Depois de várias tentativas, o motorista logo atrás dela começou a buzinar impiedosamente.

Depois de alguns momentos da incessantes buzina, a mulher saiu carro, caminhou até o homem no carro atrás dela e educadamente disse,
- Senhor, parece que estou tendo dificuldades para ligar meu carro. Se você puder fazer o favor de ajudar e conseguir ligar meu carro, eu ficarei muito feliz em me sentar aqui e buzinar para você.

O buzinaço parou!
Como você se classifica frente à um problema "dos outros"? Você é um "ajudante" ou um "buzinador"?
Da próxima vez que você observar um problema, por favor não "buzine". 

Isto realmente não ajuda e normalmente frustra aqueles que estão tentando consertar o problema. Ao invés de "buzinar" por que não empresta uma mão para ajudar?

(Steve Higginbotham)

publicado por pensamentoslucena às 11:13

Abril 07 2010

 


  
 

 

 

 
 
 
 

Deus  eu quero

Estar  sempre contigo.

Você  é meu grande amigo

E  em você encontro paz. 

Por  você eu sei que  sou amado

Quando  você está ao lado

A  tristeza se desfaz

 
 
 
 
 

Deus,  o Teu abraço me  conforta

Só  Você me abre a  porta

Quando  eu quero descansar

Com  Você eu fico mais  seguro 

Quando  tudo está escuro

Você  vem pra iluminar

 
 
 
 

Só  Teu abrigo é verdadeiro

Você  é meu companheiro

E  Você me faz tão  bem 

Só  a Tua força absoluta

Faz  parar a força bruta

Que  o mal possui também

 
 
 
 

Deus  eu nunca vou estar  sozinho

Você  é o meu caminho

E  é Você quem me  conduz 

Quando  a escuridão se faz  intensa

Eu  sinto a Tua presença

Você  é a minha luz

 
 
 
 

Quando  a fé do peito  vai embora

Você  finge que demora

Pra  chamar minha atenção  

Quando  eu me descuido, eu  sinto medo

Só  Você sabe o segredo

Pra  abrir meu coração

 
 
 
 

Deus  o teu amor é infinito

Sou  um viajante aflito

O  Teu amor me seduz  

Tua  benção traz felicidade

Você  é minha verdade

Quero  os braços de Jesus

 
 
 
 

 

publicado por pensamentoslucena às 10:38
Tags:

Abril 07 2010

É comum nos abatermos diante das dificuldades. E super dimensioná-las. Nossos problemas são sempre mais relevantes do que os dos outros. Contratempos revestem-se de tragédias. Sentimo-nos incapazes, impotentes, injustiçados.

Isso me lembra o boxe, um esporte duro e violento que nos lega de forma muito especial o conceito de assimilação. Um boxeador toma um direto de direita e assimila, bem ou mal, o choque sofrido. Assimilar é tornar-se semelhante a.

Como se o golpe passasse a ser uma parte da própria pessoa, modificando-a externa e internamente. O boxeador sofre, baqueia, devolve a energia potencial em forma de persistência (permanecer em pé), ou em forma de contragolpes defensivos, mas acima de tudo aprende enquanto assimila.

Aprende que a guarda deveria estar mais alta, que a esquiva deveria ocorrer um décimo de segundo antes. Aprende com a dor e aprende sozinho.

Também tenho aprendido a oferecer menos resistência aos sacrifícios impostos, a suportar melhor as dificuldades, a ser mais tolerante. E a encontrar um Sentido para a Vida. Apesar dos que a tudo isso se opõem.

publicado por pensamentoslucena às 10:20

Pensamentos, reflexões e otimismo para seu dia!!!
mais sobre mim
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
17

18
24

25
27
28
30


links
pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO