Pensamentos

Outubro 11 2011

 

 

Todo o conflito é o resultado do confronto entre dois pólos, duas visões ou dois partidos, ou seja, de dois interesses opostos entre o que duas pessoas acreditam ser certo ou errado diante de uma dada situação. O conflito é uma agressão ao estado de harmonia. No entanto, no andamento da vida, os atritos, as fricções, são bastante naturais uma vez que fazem parte do próprio dinamismo da vida. Sendo assim, o que importa é a atitude que está por trás do conflito, ou seja, se nossa atitude conflitante for motivada pela arrogância, pelo orgulho, pela vaidade, isto é, por nosso egoísmo, estaremos traçando para nós mesmos um encadeamento de causa e efeito negativo, cujo rumo é impossível prever, mas se nossa atitude conflitante tiver por motivação a busca do que é justo para todos os envolvidos naquela questão, é muito possível que a lei da causa e efeito sorria para nós. Saber esperar Saber esperar exige muita força e inteligência. Deve haver força para determos os impulsos irracionais que querem nos forçar a agir cegamente; e deve haver inteligência para saber reconhecer que uma dada situação não nos é favorável e que seria imprudente e ineficaz tentar qualquer forma de ação. Mas a atitude de espera deve ser bem compreendida! Ela não pode ser confundida com uma espera passiva de mudança de circunstâncias. A espera deve ser um período no qual nos preparamos cuidadosamente até o ponto em que a nossa inteligência nos disser que o momento de atuar chegou. Nesse sentido, esperar significa nutrir-se de novas informações, desenvolver habilidades ainda não exercidas, aperfeiçoar competências e fortalecer as próprias energias. Saber esperar nos fortalece! Saber esperar é saber isolar-se e recolher-se quando necessário. Votos de Paz Profunda e Prosperidade, agora e sempre!!
publicado por pensamentoslucena às 12:17

Outubro 11 2011

 

 

Um homem, procurou um sábio e disse-lhe: - Preciso contar-lhe algo sobre alguém! Você não imagina o que me contaram a respeito de... Nem chegou a terminar a frase, quando Sócrates ergueu os olhos do livro que lia e perguntou: - Espere um pouco. O que vai me contar já passou pelo crivo das três peneiras? - Peneiras? Que peneiras? - Sim. A primeira é a da verdade. Você tem certeza de que o que vai me contar é absolutamente verdadeiro? - Não. Como posso saber? O que sei foi o que me contaram! - Então suas palavras já vazaram a primeira peneira. Vamos então para a segunda peneira: a bondade. O que vai me contar, gostaria que os outros também dissessem a seu respeito? - Não! Absolutamente, não! - Então suas palavras vazaram, também, a segunda peneira. Vamos agora para a terceira peneira: a necessidade. Você acha mesmo necessário contar-me esse fato, ou mesmo passá-lo adiante? Resolve alguma coisa? Ajuda alguém? Melhora alguma coisa? - Não... Passando pelo crivo das três peneiras, compreendi que nada me resta do que iria contar. E o sábio sorrindo concluiu: - Se passar pelas três peneiras, conte! Tanto eu, quanto você e os outros iremos nos beneficiar. Caso contrário, esqueça e enterre tudo. Será uma fofoca a menos para envenenar o ambiente e fomentar a discórdia entre irmãos. Devemos ser sempre a estação terminal de qualquer comentário infeliz! Da próxima vez que ouvir algo, antes de ceder ao impulso de passá-lo adiante, submeta-o ao crivo das três peneiras porque: Pessoas sábias falam sobre idéias; Pessoas comuns falam sobre coisas; Pessoas medíocres falam sobre pessoas.
publicado por pensamentoslucena às 10:59

Outubro 11 2011

 

 


 
Não há luz que não espante a treva; Não há sorriso que não ilumine um semblante; Não há riso que não sane o mau humor; Não há amor que não desfaça o ódio; Não há perdão que não traga a cura; Não há humildade que não rebaixe o orgulho; Não há simplicidade que não enrugue a vaidade; Não há beleza interior que não nuble a beleza externa; Não há tolerância que não vença a ignorância; Não há persistência que não atinja um objetivo; Não há calma que não inferiorize a ira; Não há paciência que não dissolva a ansiedade; Não há coragem que não dissolva o medo; Não há serenidade que não desarme a agressão; Não há desprendimento que não ridicularize a avareza; Não há ambição bem dosada que não humilhe a ganância; Não há fé que não vença a rebeldia; Não há rendição que não cesse a guerra; Não há silêncio que não quebre a exaltação; Não há compreensão que não incomode o erro; Não há verdade que não derrube a mentir; Há olhos que observam os meus atos e também os teus: não há atos que não sejam vistos nem há pensamentos que não cheguem a Deus.
publicado por pensamentoslucena às 10:55

Pensamentos, reflexões e otimismo para seu dia!!!
mais sobre mim
Outubro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9

16
22

23

30


links
pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO