Pensamentos

Outubro 03 2014

Esta é a história de um fazendeiro que venceu o prêmio “milho-crescido”.

Todo ano ele entrava com seu milho na feira e ganhava o maior prêmio.Uma vez um repórter de jornal o entrevistou e aprendeu algo interessante sobre como ele cultivou o milho.

O repórter descobriu que o fazendeiro compartilhava a semente do milho dele com seus vizinhos.

“Como pode você se dispor a compartilhar sua melhor semente de milho com seus vizinhos quando eles estão competindo com o seu em cada ano ?” – perguntou o repórter.

Por que?” – disse o fazendeiro, – “Você não sabe ? O vento apanha pólen do milho maduro e o leva através do vento de campo para campo. Se meu vizinhos cultivam milho inferior, a polinização degradará continuamente a qualidade de meu milho. Se eu for cultivar milho bom, eu tenho que ajudar meu vizinhos a cultivar milho bom”.

Ele era atento às conectividades da vida. O milho dele não pode melhorar a menos que o milho do vizinho também melhore.

Assim é também em outras dimensões. Aqueles que escolhem estar em paz devem fazer com que seus vizinhos estejam em paz. Aqueles que querem viver bem têm que ajudar os outros para que vivam bem. E aqueles que querem ser felizes têm que ajudar os outros a achar a felicidade, pois o bem-estar de cada um está ligado ao bem-estar de todos.

A lição para cada um de nós se formos cultivar milho bom, nós temos que ajudar nossos vizinhos a cultivar milho bom.

 

publicado por pensamentoslucena às 09:05

Outubro 03 2014

 O palhaço que colore o rosto para poder fazer rir seu semelhante, por que se assim não fizesse, se não escondesse o rosto, não conseguiria, no seu íntimo, a alegria contagiante de ser ele mesmo.

Nós assim agimos, quando a empreitada exige que utilizemos nosso ser verdadeiro, que sejamos transparentes, autênticos.

Colocamos nossas máscaras e qual “heróis”, enfrentamos tudo e resolvemos as situações, protegidos pelo “papel” que representamos. Quando poderemos ser autênticos, transparentes, verdadeiros e “desmascarados”? Quando nos aceitarmos, quando nos enxergarmos como somos, no estágio em que estamos. Quando admitirmos a ideia de que ainda somos imperfeitos.

Quando exigirmos de nós mesmos a supremacia que não temos. Quando humildemente nos vermos como criaturas amadas, cujo compromisso é somente viver autenticamente suas experiências e voltar para “casa” mais maduros, enriquecidos, crescidos.

Nada do que hoje privilegiamos nos será cobrado, mas muito do que negligenciamos teremos que prestar contas.

publicado por pensamentoslucena às 08:40

Outubro 03 2014

 

A verdadeira realização na vida acontece quando respondemos com honestidade às seguintes perguntas: – o que é mais importante para mim?, – o que eu gostaria verdadeiramente de realizar?, – que legado eu gostaria de deixar?

O desafio é descobrir o que queremos, o que gostaríamos de fazer e, então, começar a trabalhar diariamente para realizar nossos desejos. Não importa se temos, 20, 35, 50, 75 anos, ou mais. O que precisamos fazer é decidir quando vamos começar a trabalhar para conseguir o que queremos.

publicado por pensamentoslucena às 08:08

Outubro 03 2014

Se há alguma coisa que você não quer na vida, pare de se preocupar com ela e para de falar nela! É a energia que você investe que a mantém viva. Retire essa energia, e o problema desaparecerá.

 

A briga é o exemplo perfeito: se o seu companheiro voltar para casa procurando briga e você se recusar a discutir, o que acontecerá? Só restará ao companheiro brigar consigo mesmo!

Sempre que você estiver preocupado, constrangido ou simplesmente pensando em alguma coisa, as outras pessoas continuarão falando nela. Quando a gente de fato abre mão de uma coisa emocionalmente, ela se evapora.

Isso leva a outro princípio: quando largamos uma coisa, ela nos larga. Ou seja: enquanto você estiver se defendendo, as pessoas o atacarão. Por quê? Porque nós só nos defendemos quando estamos inseguros quanto à nossa situação. Verdade!

Quer um exemplo? Digamos que você seja objeto de fofocas no escritório. Se começar a fazer declarações públicas afirmando a sua inocência, só estará botando lenha na fogueira. Basta não fazer caso para que tudo passe. Não estou dizendo que você não deva se defender.

Não. O que quero dizer é que, enquanto protestamos e sofremos, enquanto estivermos saltando de um lado para outro, manteremos o problema vivo. Eu me lembro de ter visto passeatas de protestos nos anos 60. Perguntei ao meu pai: “Por que eles se espancam assim?”. E ele respondeu: “Porque querem a paz!”. A gente não combate a guerra. Concentra-se na paz.

Em poucas palavras: se você transformar a vida numa campanha contra o que quer que seja, as coisas que combate se expandirão. Decida do que você está a favor.

publicado por pensamentoslucena às 07:50

Outubro 03 2014

 

Pahóm, um peregrino queria a todo custo, ter seu próprio pedaço de terra.
- Se eu tiver terra suficiente, eu não terei medo de nada, dizia ele.

E apareceram oportunidades para que Pahóm obtivesse mais e mais terra. Mas ele nunca se satisfazia,
e resolveu mudar-se para as regiões desabitadas do interior da Rússia nessa sua busca incessante.

Lá, o chefe da região lhe deu um desafio enorme.

Ele poderia começar a caminhar de manhã e poderia ficar com a terra que
ele conseguisse circular até o entardecer.

Ele saiu ao amanhecer e, motivado por ganância, tentou circular uma enorme extensão de floresta.

Ele chegou trôpego ao ponto inicial no final do dia, exausto.
Quando suas mãos tocaram a linha de chegada, ele caiu no chão.

Pahóm estava morto!

Tolstoi concluiu com estas palavras:
“Do topo de sua cabeça até seus calcanhares, 1m90cm de
terra, era tudo que ele precisava”.

Quando estamos obcecados com a aquisição de ben, estamos escolhendo o
caminho errado.

Nosso objetivo maior deve ser dar, não obter.
Afinal, o que levamos desta vida?

Não que não devamos lutar para ter conforto, aproveitar a vida de forma equilibrada, mas obsessão é errar o alvo, pois nos rouba o tempo que podemos gastar com as pessoas importantes da nossa vida porque estamos “correndo atrás do vento”.

publicado por pensamentoslucena às 07:31

Outubro 03 2014

Vivemos um momento na face da Terra que, por vezes, parece que todos os valores morais estão em baixa.

E você, que está buscando construir suas mais nobres virtudes, em muitos momentos se sente enfraquecido pelo próprio mundo à sua volta.

Quando age com honestidade, comentam que você é tolo, que está remando contra a maré, em vez de fazer o que todo mundo faz.

Mas se você quer ser grande perante sua consciência, seja honesto mesmo assim.

Se procura balizar seus atos na justiça, ouve que essa atitude é a de um alienado, vivendo num mundo em que vence sempre o mais forte. No entanto, seja justo mesmo assim.

Se está construindo um lar apoiado nas colunas sólidas da fidelidade, é comum ouvir gargalhadas insanas ou comentários maldosos a respeito do seu comportamento. Seja fiel mesmo assim.

Quando você age com sinceridade, com lealdade, é comum ser taxado de insensato, fugindo do comum em que muitos usam de subterfúgios mesquinhos para conseguir o que desejam. Seja sincero e leal mesmo assim.

Se, diante das circunstâncias do dia-a-dia, você revela sua fé em Deus e em Suas soberanas Leis, e é chamado de piegas ou crédulo, mantenha sua fé mesmo assim.

Quando aqueles que se julgam acima do bem e do mal tentam apagar a chama da esperança que você acalenta no íntimo, afirmando que a esperança é a ilusão da mediocridade, mantenha a esperança mesmo assim.

E, por fim, mesmo que alguém tente roubar a sua coragem de continuar lutando e acreditando em dias melhores, mantenha sua coragem e continue acreditando mesmo assim.

Ao findar sua jornada terrestre, e só então, você poderá contemplar a ficha de avaliação do seu desempenho. Somente você será responsabilizado por seus atos. E tenha a certeza de que todos aqueles que tentaram desviá-lo do caminho reto não estarão

 

publicado por pensamentoslucena às 07:13

Outubro 03 2014

A prosperidade é um fluxo: dar e receber.

Se você tem uma fortuna depositada na Suíça e não a usa, esse dinheiro não o está enriquecendo.

Tecnicamente é seu, mas na realidade você não “recebe” nada dele.

Esse dinheiro não o torna abundante e podia muito bem pertencer a outra pessoa. Portanto, o princípio de dar e receber continua valendo mesmo assim.

Em poucas palavras: o macete consiste em dar sem querer nada em troca.

Se você espera um retorno, está fixado no resultado e quando nos fixamos no que quer que seja, pouca coisa acontece.

E não devemos gozar das nossas posses pessoais?

Claro que sim!

Basta ter certeza de que é você que as possui, e não são elas que possuem você.

 

publicado por pensamentoslucena às 07:11

Outubro 02 2014

"Não espere favor, favoreça antes"!

“Não espere agradecimento, agradeça”!

“Não espere gentilezas, seja gentil antes”!

“Não espere simpatia, sorria mais”!

“Não espere amor, ame mais”!

Nunca espere nada dos outros, sem que você já tenha feito por alguém antes!

 

publicado por pensamentoslucena às 09:04

Outubro 02 2014

Ser Neurótico É...

 

 

Esperar que os resultados se modifiquem fazendo tudo exatamente como antes.

Lutar desesperadamente para mudar…. OS OUTROS!

Ruminar velhas angústias e preocupações em vez de buscar um jeito definitivo de se livrar delas.

Deixar de fazer o que pode, por não poder fazer tudo que gostaria.

Procurar a felicidade fazendo tudo para ser infeliz.

Abrir mão de viver o presente em nome do que já passou ou do que ainda não veio.

Odiar o fracasso e morrer de vergonha de fazer sucesso.

Deixar que façam por você, o que só você pode fazer.

publicado por pensamentoslucena às 08:47

Outubro 02 2014

O paradoxo de nosso tempo na história é que temos edifícios mais altos, mas pavios mais curtos. 

Temos mais graus acadêmicos, mas menos senso. 

Multiplicamos nossas posses, mas reduzimos nossos valores.

Falamos demais, amamos raramente e odiamos com muita frequência.

Aprendemos como ganhar a vida, mas não vivemos essa vida. 

Já fomos à Lua e dela voltamos, mas temos dificuldade em atravessar a rua e nos encontrarmos com nosso novo vizinho.

Conquistamos o espaço exterior, mas não nosso espaço interior.

Limpamos o ar, mas poluímos a alma. 


Escrevemos mais, mas aprendemos menos.


Planejamos mais, mas realizamos menos.

Aprendemos a correr contra o tempo, mas não a esperar com paciência.

Temos maiores rendimentos, mas menor padrão moral.

Construímos mais computadores para armazenar mais informações para produzir mais cópias do que nunca, mas temos menos comunicação.

Tivemos avanços na quantidade, mas não em qualidade.

Estes são tempos de homens altos e caráter baixo.

lucros expressivos, mas relacionamentos rasos.

Estes são tempos de mais lazer, mas menos diversão.

São dias de duas fontes de renda, mas de mais divórcios, de residências mais belas, mas lares quebrados.

São dias de viagens rápidas, fraldas descartáveis, moralidade também descartável.

É um tempo em que a tecnologia pode levar-lhe estas palavras e você pode escolher entre fazer alguma diferença, ou simplesmente esquecer.

 

publicado por pensamentoslucena às 08:30

Pensamentos, reflexões e otimismo para seu dia!!!
mais sobre mim
Outubro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
18

19
25

26
27


links
pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO