Pensamentos

Janeiro 14 2015

untitled.png

 

Já foi dito que a descoberta nada mais é do que o encontro de um acidente com uma mente preparada. (Albert Szent-Gyorgy)

No momento preciso em que você julgou que seus problemas haviam desaparecido, e as coisas passaram a navegar a seu favor, algo aconteceu, e a trajetória foi subitamente mudada numa direção contrária.

No mesmo dia em que você estava se sentindo tão feliz, pronto para prosseguir vitorioso em sua jornada, recebe de súbito aquela notícia nada agradável.

Agora o vento bate fortemente na direção contrária.

Mas assim é a vida! Não se pode fugir a ela! Portanto, não tome as coisas pelo lado pessoal!

Quando as coisas ruins surgirem em meio às bonanças da vida, pare, sente-se, fique calmo e se aquiete! Procure lembrar-se de algumas verdades preciosas a respeito de si mesmo, e ore, falando com Deus sobre a situação.

As Escrituras nos ensinam que todas as coisas contribuem para o bem daqueles que realmente amam a Deus. Essa experiência adversa pode muito bem ser apenas uma parte de um plano perfeito que Deus estabeleceu para você, antes mesmo da fundação do mundo. Portanto, acalme-se!

A realidade é que algumas vezes nós estamos sendo testados. em outras estamos simplesmente sendo chamados a nos render, sermos pacientes e humildes, e colocarmos os olhos naquele para quem não existem surpresas.

publicado por pensamentoslucena às 11:29

Janeiro 14 2015

imagesYNHVMAH8.jpg

 

Existe alguém muito especial que está querendo lhe encontrar.
Por mais que ela anseie esse encontro você tem estado muito ocupado com: trabalho, amigos e outras coisas do dia-a-dia para puder notá-la… tem tido pouco tempo. Saiba que muita coisa na vida não é tão importante quanto imaginamos, e que pressa demais não vai lhe dar um minuto sequer a mais de vida.

Pare um pouco! Pense! Descobrirá a pessoa que mais precisa do seu perdão, com quem mais necessita compartilhar seus problemas. Fardos compartilhados sempre se tornam mais fáceis de carregar. Se está cego de paixão a ponto de perder o amor próprio: feche os olhos!

As vezes de olhos fechados vemos muito mais longe. Talvez aí se enxergue. É. é de você de quem estou falando! Ninguém, nem nada no mundo vai lhe completar enquanto você não for suficiente para você mesmo. Enquanto não se conhecer. Não digo conhecer de aparência, pois como diz o clichê “as aparências enganam”, mas se conhecer de verdade.

Se encontrar é algo processual e requer contínua investigação. Nesse sentido, é preciso ter muito cuidado. A opinião dos outros e mesmo a nossa são pistas mais nunca a essência do que somos. Essa, na verdade nunca descobriremos.

publicado por pensamentoslucena às 11:08

Janeiro 14 2015

imagesN7BF2611.jpg

 

Quando alguém nos pergunta se somos honestos, em princípio ficamos indignados, só em pensar que alguém duvide de que o somos.

No entanto, é importante que reflitamos um tanto mais a respeito da honestidade.
grande parte de nós nos dizemos honestos, mas será que verdadeiramente o somos?

Se estamos dirigindo um veículo, e, sem querer raspamos num outro que está estacionado, cujo dono não está por perto.

Qual é a nossa atitude? Damos no pé, ou deixamos um bilhete com o telefone para posterior contato?

Enfrentamos com honestidade a longa fila dos bancos, teatros, repartições, etc., ou sempre ficamos procurando um conhecido ou um jeito qualquer de passar à frente dos que chegaram antes que nós?

Se vamos a um espetáculo qualquer, costumamos marcar os lugares com bolsas, carteiras, ou outros objetos, para que nossos amigos que cheguem em cima da hora possam ocupar os melhores lugares, em detrimento dos que se esforçam e chegam cedo?

Se trabalhamos no setor de compras de uma empresa, procuramos realmente os melhores preços e condições de pagamento, pensando exclusivamente no melhor para a nossa empresa, ou compramos onde nos ofereçam mais vantagens pessoais?

Ouvimos várias vezes o jargão popular afirmar que “todo homem tem um preço”.

No entanto para a honestidade não há preço, não há barganha, não há corrupção, nem corruptores.

A dignidade de um ser humano honesto não tem preço, pois seu valor é inestimável.

Dessa forma, poderíamos alterar o jargão popular e dizer: todo homem desonesto tem um preço, porque a dignidade jamais se corrompe.

Se ainda não conquistamos a virtude da honestidade como deve ser, lutemos por conquistá-la, a fim de podermos olhar no espelho e não nos envergonharmos da figura ali refletida.

Olhar nos próprios olhos e nada ter que censurar.

publicado por pensamentoslucena às 10:47

Janeiro 14 2015

imagesDE6KYOBH.jpg

 

A gratidão é um sentimento que traz junto dele uma série de outros sentimentos: amor, ternura, fidelidade, amizade. Aprenda a ver a vida de um ponto de vista positivo e pratique a gratidão. Pessoas que sabem perdoar e deixam o passado para trás, iniciam um processo de libertação. Mas é preciso se desfazer de coisas que remetem a situações tristes ou desconfortáveis e esquecer a mágoa para sentir-se realmente livre.

Compartilhar é outra atitude que faz bem e contribui para o sentimento de abundância. Pessoas que sentem carência devem fazer um esforço para conectar-se com outras pessoas. Então mantenha contato com quem é importante para sua vida. Faça visitas, marque encontros, telefone, escreva ou envie mensagens. Essas pessoas vão gostar de saber que são importantes para você. Faça a sua parte.

A virtude da generosidade pode estar em simples gestos, como a doação. Doe periodicamente: alimentos, dinheiro, sua atenção, seu tempo, para pessoas e causas em que acredita. Sempre há algo a fazer, ao seu alcance. Além disso, fazer o bem traz uma sensação de bem estar. E pessoas que ajudam outras voluntariamente, não importa o quanto esse trabalho exija, são mais felizes.

 

publicado por pensamentoslucena às 10:25

Janeiro 14 2015

imagesV61EB4XD.jpg

 

Não passam as dores, também não passam as alegrias.
Tudo o que nos fez feliz ou infeliz serve pra montar o quebra-cabeça da nossa vida, um quebra-cabeça de cem mil peças.
Aquela noite que você não conseguiu parar de chorar, aquele dia que você ficou caminhando sem saber para onde ir, aquele beijo cinematográfico que você recebeu, aquela visita surpresa que ela lhe fez, o parto do seu filho, a bronca do seu pai, a demissão injusta, o acidente que lhe deixou cicatrizes, tudo isso vai, aos pouquinhos, formando quem você é.
Não há nenhuma peça que não se encaixe.
Todas são aproveitáveis.
Como são muitas, você pode esquecer de algumas, e a isso chamamos de “passou”.
Não passou.
Está lá dentro, meio perdida, mas quando você menos esperar, ela será necessária para você completar o jogo e se enxergar por inteiro.

publicado por pensamentoslucena às 10:07

Janeiro 14 2015

untitled.png

 

Com o tempo nós vemos realmente quem é quem… Seus amores, seus amigos, seus problemas… Aprendemos que muitas palavras são apenas palavras, muitos sorrisos não eram verdadeiros e muitas luzes na verdade eram a escuridão em disfarce.

Com o tempo, vemos virtudes indo ralo abaixo, vemos pessoas virando o que realmente são e não o que fingiam ser, máscaras caem, perfumes perdem a validade e com o tempo percebemos quem apenas fala e quem realmente age…… Com o tempo se cresce…!

E há quem diga que envelhecer não é bom… Já eu acho uma Dádiva, pois reflete a verdadeira imagem das pessoas, de suas atitudes e de suas palavras, de quem realmente são…

” O tempo é senhor da razão”

publicado por pensamentoslucena às 09:58

Janeiro 14 2015

images4JJD2UB1.jpg

 

O contrário de bonito é feio, de rico é pobre, de preto é branco, isso se aprende antes de entrar na escola. Se você fizer uma enquete entre as crianças, ouvirá também que o contrário do amor é o ódio. Elas estão erradas. Faça uma enquete entre adultos e descubra a resposta certa: o contrário do amor não é o ódio, é a indiferença.

O que seria preferível, que a pessoa que você ama passasse a lhe odiar, ou que lhe fosse totalmente indiferente? Que perdesse o sono imaginando maneiras de fazer você se dar mal ou que dormisse feito um anjo a noite inteira, esquecido por completo da sua existência? O ódio é também uma maneira de se estar com alguém. Já a indiferença não aceita declarações ou reclamações: seu nome não consta mais do cadastro.

Para odiar alguém, precisamos reconhecer que esse alguém existe e que nos provoca sensações, por piores que sejam. Para odiar alguém, precisamos de um coração, ainda que frio, e raciocínio, ainda que doente. Para odiar alguém gastamos energia, neurônios e tempo. Odiar nos dá fios brancos no cabelo, rugas pela face e angústia no peito. Para odiar, necessitamos do objeto do ódio, necessitamos dele nem que seja para dedicar-lhe nosso rancor, nossa ira, nossa pouca sabedoria para entendê-lo é pouco humor para aturá-lo. O ódio, se tivesse uma cor, seria vermelho, tal qual a cor do amor.

Já para sermos indiferentes a alguém, precisamos do quê? De coisa alguma. A pessoa em questão pode saltar de bung-jump, assistir aula de fraque, ganhar um Oscar ou uma prisão perpétua, estamos nem aí. Não julgamos seus atos, não observamos seus modos, não testemunhamos sua existência. Ela não nos exige olhos, boca, coração, cérebro: nosso corpo ignora sua presença, e muito menos se dá conta de sua ausência. Não temos o número do telefone das pessoas para quem não ligamos. A indiferença, se tivesse uma cor, seria cor da água, cor do ar, cor de nada.

Uma criança nunca experimentou essa sensação: ou ela é muito amada, ou criticada pelo que apronta. Uma criança está sempre em uma das pontas da gangorra, adoração ou queixas, mas nunca é ignorada. Só bem mais tarde, quando necessitar de uma atenção que não seja materna ou paterna, é que descobrirá que o amor e o ódio habitam o mesmo universo, enquanto que a indiferença é um exílio no deserto.

Martha Medeiros

publicado por pensamentoslucena às 09:47

Janeiro 14 2015

imagesPPWK3RJX.jpg

 

Um príncipe, orgulhoso de sua realeza, foi certo dia caçar em lugar montanhoso e afastado.

A certa altura de seu caminho, viu um velho eremita, sentado diante de sua gruta, e muito atento a considerar uma caveira que tinha nas mãos.

Indignado por não lhe ter o velho dado a menor atenção, nem sequer levantado os olhos para a luzida companhia de caçadores, o príncipe aproximou-se dele e disse-lhe, entre rude e zombeteiro:

- Levanta-te quando por ti passar o teu senhor! Que podes ver de tão interessante nessa pobre caveira, que chegas a te distrair da passagem de um príncipe de tantos poderosos fidalgos?

O sábio, erguendo para ele os olhos mansos, respondeu, em voz singularmente clara e sonora: – Perdoa senhor. Eu estava procurando descobrir se esta caveira tinha pertencido a um mendigo ou a um príncipe, mas não consigo distinguir de quem seja.

Nestes ossos nada há que me diga se a carne que os revestiu repousou em travesseiros de plumas ou nas pedras das estradas. Eu não saberia dizer se devia levantar-me ou conservar-me sentado diante daquele que em vida foi o dono deste crânio anônimo.

O príncipe, cabeça baixa, prosseguiu o seu caminho, mas a
caçada não teve, naquele dia, qualquer encanto para ele.

A lição da caveira abatera-lhe o orgulho.

Foi através das palavras do sábio que caiu a ficha e ele , o Sr. Príncipe, descobriu que não passava de um ser humano. Igual a todos os outros.

publicado por pensamentoslucena às 08:50

Janeiro 14 2015

imagesGGGD18HE.jpg

 

Um escritor inglês, do século passado, conta em uma de suas obras que na praia perto de sua casa, uma coisa muito interessante podia ser vista com frequência: um navio lançando a sua âncora no mar enfurecido.

Dificilmente existe uma coisa mais interessante ou sugestiva do que essa. O navio dança sobre as ondas. Parece estar sob o poder e à mercê delas. O vento e a água se combinam para fazer do navio o seu brinquedo. Parece que vai haver destruição. pois se o casco do navio for lançado sobre as rochas, será despedaçado.

Mas observamos que o navio mantém a sua posição. Embora à primeira vista parecesse um brinquedinho desamparado à mercê dos elementos, o navio não é vencido. Qual é o segredo da segurança deste navio?
Como pode resistir às forças da natureza com tanta tranquilidade? Existe segurança para o navio no meio da tempestade porque ele está ancorado! A corda à qual ele está amarrado não depende das águas, nem de qualquer outra coisa que flutue dentro delas.

Ela as atravessa e está fixada no fundo sólido do mar. Não importa quão forte o vento sopre ou quão altas sejam as ondas do mar… A sua segurança depende da âncora que está imóvel no fundo do oceano. Muitas vezes nos sentimos no meio de uma tormenta, sendo jogados pelas ondas da vida para cima e para baixo e açoitados pelo vento da adversidade.

Parece-nos, às vezes, que não conseguiremos sobreviver a determinados períodos de nossas vidas. Sem uma vida espiritual, a nossa vida é como um navio sacudido pelo mar enraivecido das circunstâncias incontroláveis da vida. Mas, confiando em Deus, experimentamos sua presença e amor como âncora da nossa vida.

Nos sentimos encorajados e esperançosos. Essa esperança mantém segura e firme a nossa vida, assim como a âncora mantém seguro o barco.

publicado por pensamentoslucena às 08:41

Janeiro 14 2015

imagesIRFJAT9A.jpg

 

Você não precisa ser melhor em tudo.
A perfeição é uma coisa que não está ao nosso alcance, aliás, acho que nunca ninguém soube dizer o que é perfeição.
A humanidade é perita em criar conceitos inatingíveis, e não devemos nos iludir com eles.
Sim, o reconhecimento e admiração daqueles que nos cercam é sempre bom, mas não é tudo na vida.
Teu sorriso, sim, é importante.
Tua paz, tua felicidade, e ela não deve depender dos outros, mas apenas de você.
Costumo dizer que não devemos tentar fazer ninguém feliz, mas fazer felizes a nós mesmos e, desta forma, quem estiver conosco estará feliz também.
Não faça nada esperando o sorriso de ninguém. Faça apenas esperando o teu sorriso, e no final de tudo você poderá comemorar extraordinariamente, mesmo que você esteja só – mas é difícil se estar só quando se está bem consigo.
Portanto, construa tua felicidade. A felicidade atrai.


Augusto Branco

publicado por pensamentoslucena às 08:11

Pensamentos, reflexões e otimismo para seu dia!!!
mais sobre mim
Janeiro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
17

18
24

25
31


links
pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO