Pensamentos

Setembro 04 2015

untitled.png

 

Deveríamos todos parecer flores no início da primavera. 

Só que a vida é um lutar constante. Quando chegamos prontos para a batalha, não sabemos ainda como serão as lutas, o que vão exigir, o que vão tomar de nós. 

O lutar nos cansa; as respostas que tardam a vir nos cansam, as esperanças prorrogadas ao dia-a-dia podem tornar-se cansativas. A fadiga chega, o desânimo se apossa de nós e tira nossas forças.

A fadiga psicológica é muito mais perigosa do que qualquer outra que venha tomar conta de nós.

Quando nos deparamos com uma situação em que não vemos saída é inútil continuar se debatendo, isso só vai aumentar o desânimo.

É preciso em certos momentos deixar-se abandonar, não para desistir, mas para se recuperar as forças, olhar com objetividade, dar-se a ocasião de reconhecer-se fragilizado e humano e, por isso mesmo, igual a todo mundo. Há os que nunca perdem a coragem e vontade de lutar, mas ainda não conheci alguém que nunca tenha tido um momento, nem que seja um momento, de desânimo. E não é errado, não é anormal.

É apenas nosso ponto de limite e isso é muito individual, por isso nada de comparações. Ninguém é melhor que ninguém por que parece mais forte e resistente, as pessoas apenas são diferentes.

 Jesus chorou, mas não desistiu de Jerusalém. Ele pediu que o cálice fosse passado, mas carregou a cruz e foi pregado nela.

Vocês já observaram flores que ficam muito tempo sem água? Elas murcham, ficam abatidas. Mas em geral é suficiente um copo de água fresca e logo depois elas reerguem-se. Chegam prontas para enfrentar o dia. E é assim conosco.

Que as lágrimas venham, venham sim! E que venham os tempos difíceis! Mas que não desfaleça de fraqueza, que a noite chegue trazendo o sereno, que a primavera volte! Quantas e quantas vezes é suficiente levantar um pouco os olhos para ver que as soluções estavam ao nosso alcance, a gente é que estava cansado demais para procurar direito.

Disse Jesus: No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo! Eu venci o mundo.

E se estamos em Cristo e Ele em nós, nenhum obstáculo será intransponível, nenhuma estrada será longa demais.

 

Letícia Thompson

publicado por pensamentoslucena às 12:55

Setembro 04 2015

calimero.jpg

 

Se fossem simples, já não teriam esse nome. E se têm é porque fazem torta a vida de quem sofre com eles.

Os complexos são impressões que sentimos que o mundo inteiro está concentrado na nossa pessoa. É como se houvesse um projetor sobre nossa cabeça, mesmo e, talvez principalmente, em plena luz do dia.

É algo que dói tão profundamente e tanto mais se não pode ser mudado. As pessoas em volta não percebem isso. Aliás, a realidade é que elas se importam pouco com os complexos de outros, a pessoa que mais se importa com isso é o próprio complexado. E é a única pessoa que sofre também. Sofre no âmago. Se algo não for feito, a tendência é a anulação na pessoa das grandes qualidades por uma pequena diferença.

O remédio? Antes de tudo aceitação. Aceite-se! Se há algo em você que te incomoda e que você não pode mudar, aceite! Comece por perceber que não existe um projetor sobre sua cabeça, que o mundo não para de girar quando você chega e que todas as pessoas não olham pra você. Pare de se comparar com esse ou aquele outro, porque você não sabe, mas é possível que essas pessoas que você olha tenham elas também seus complexos, outros, e que até gostariam de trocar de lugar com você.

E se acontecer de você ter realmente algo "diferente" e alguém se divertir com isso, divirta-se também. Se você se vê com naturalidade e bom humor, os outros aprenderão a te ver dessa forma. E vão te admirar por isso.

Olhe-se bem no espelho. Há certamente algo bonito em você, que seja no físico ou na alma. Realce isso!!! Se você deve chamar a atenção de alguma forma, que seja pelo seu bom humor, suas gargalhadas, seu jeito de olhar ou conversar com as pessoas.

Não sei se você sabe, mas diz a Bíblia que Jesus "não tinha parecer, nem formosura." E nós o amamos pelo que Ele foi, pelo que Ele é e pelo que Ele será na nossa vida.

O dia que você partir, ninguém vai se lembrar do que você não tinha, mas do que ofereceu, do que deixou, da amizade e da saudade que soube cravar nos corações.

 

Letícia Thompson

publicado por pensamentoslucena às 11:07

Setembro 04 2015

coracao2tf.jpg

 

Nosso coração é uma casa onde ninguém entra e sai, com ou sem nossa permissão, sem deixar marcas nas paredes.

Muitos deixam marcas profundas de felicidade; outros deixam cicatrizes que marcarão nossa vida para sempre.

Os amigos deixam marcas fortes, mas suaves. E cada vez que tocamos nossa alma com nossas recordações lá estão os traços, invisíveis, mas legíveis, como as escrituras em Braile. É suficiente fechar os olhos para ver toda uma história gravada nas paredes do nosso ser. Nesses momentos nosso rosto sorri sozinho.

Os amores perdidos deixam marcas irrecuperáveis: eles deixam um gosto doce e amargo ao mesmo tempo. Amargo na maioria das vezes. Sim, eles têm mais gosto que qualquer outra coisa e sempre sobem a nossa garganta quando as lembranças nos assaltam.

Tristes são as marcas das dores que deixaram os que nos fizeram mal. São as cicatrizes que deformam nossas vidas se não aprendemos a conviver com elas. Mesmo se queremos ir adiante, de vez em quando nosso olhar se volta para esses rabiscos mal traçados e sentimos a dor tal e qual no primeiro dia.

Quantas vezes não impedimos que alguém entre por causa de preconceitos ou idéias pré-concebidas, ou medo de tentar de novo uma nova relação. Ao primeiro olhar, nos trancamos. Outras vezes, sem muita consciência, deixamos entrar quem não valia muito a pena. Somos maus juízes porque confiamos demais nos nossos olhos e de menos no nosso coração. Devemos pedir a Deus que nos dê um pouco mais de dicernimento, pois agindo por nós mesmos, podemos estar nos trancando a maravilhosos encontros.

De vez em quando, é preciso fazer uma boa faxina nessa casinha tão preciosa. É preciso polir carinhosamente, realçar as marcas bonitas e passar tinta nova e clara nas paredes; de vez em quando é bom abrir as janelas e deixar que o sol entre e ilumine todos os cômodos. E enfeitar com as janelas com flores de cores vivas e alegres.

De vez em quando é mesmo muito importante achar o cantinho mais gostoso dessa casa e sentar-se nele. E rir do nada. E jogar os ressentimentos para bem longe. Sentir-se bem consigo.

Se nosso coração é uma casa, faça do seu a casa dos seus sonhos. Lembre-se que não importa quantos entram e saem, você é o dono, só você é responsável. Faça mudanças necessárias. Jogue o inútil no lixo. Só não se esqueça, nessa mudança, de colocar de volta nas paredes essas marcas benditas que deixaram esses que foram bênçãos na sua vida. Dê a mão aos doces momentos, os momentos felizes. Tudo o mais é inútil, tudo o mais deve ficar pra trás.

 

Letícia Thompson

publicado por pensamentoslucena às 10:34

Pensamentos, reflexões e otimismo para seu dia!!!
mais sobre mim
Setembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12

13
19

20
26

27


links
pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO