Pensamentos

Setembro 17 2014

 

 

Os julgamentos que fazemos em relação às outras pessoas, nos informam, sobre tudo aquilo que temos por dentro.

A “forma” e o “material” que usamos para julgar os outros residem dentro de nós.

Melhor que medir ou apontar o comportamento de alguém, seria tomarmos a decisão de visualizar onde tudo isso está dentro de nós.

publicado por pensamentoslucena às 13:16

Fevereiro 10 2014

 

Quando for criticar, se queixar ou discriminar uma pessoa, páre e olhe para dentro. Quando algo no outro nos perturba é porque reconhecemos algo de nós ali. O ditado popular diz que ao apontar um dedo para alguém, três dedos ficam voltados para a própria pessoa. Observe o que o incomoda na atitude do outro e faça um relação com o que é da mesma natureza em você. Encontrará uma ótima oportunidade para mudar a si mesmo e para não julgar o próximo.

 

Por: Jael Coaracy

publicado por pensamentoslucena às 09:36

Janeiro 09 2014

 

 

 

 

 

Havia numa aldeia um velho muito pobre que possuía um lindo cavalo
branco.

Numa manhã ele descobriu que o cavalo não estava na cocheira.

Os amigos disseram ao velho:- Mas que desgraça, seu cavalo foi roubado!

E o velho respondeu: - Calma, não cheguem a tanto. Simplesmente digam que
o cavalo não esta mais na cocheira.

O resto é julgamento de vocês.

As pessoas riram do velho.

Quinze dias depois, de repente, o cavalo voltou!
Ele havia fugido para a floresta.

E não apenas isso; ele trouxera uma
dúzia de cavalos selvagens consigo.

Novamente as pessoas se reuniram e
disseram:- Velho, você tinha razão.

Não era mesmo uma desgraça, e simuma benção!

E o velho disse: - Vocês estão se precipitando de novo.

Quem pode dizer se é uma benção ou não?

Apenas digam que o cavalo está de volta...

O velho tinha um único filho que começou a treinar os cavalos selvagens.

Apenas uma semana mais tarde, ele caiu de um dos cavalos e fraturou as pernas.

As pessoas se reuniram e, mais uma vez, se puseram a julgar:

- E não é que você tinha razão, velho?

Foi uma desgraça seu único filho perder o uso das duas pernas.

E o velho disse:- Mas vocês estão obcecados por julgamentos, hein ?

Não se adiantem tanto.Digam apenas que meu filho fraturou as pernas.

Ninguém sabe ainda se isso é uma desgraça ou uma benção...

Aconteceu que, depois de algumas semanas, o país entrouem guerra e todos os jovens da aldeia foram obrigados a se alistar menos o filho do velho.Nunca encerre uma questão de forma definitiva, pois
quando um caminho termina outro começa, quando uma porta se fecha, outra se abre.

"Assim é o curso da vida...."

publicado por pensamentoslucena às 09:32

Dezembro 05 2013

 

 

 

Não cometa o erro de julgar.
Cada pessoa tem uma maneira de encarar a vida.
Nada lhe dá o direito de julgar ninguém, nem quando a sua intenção é a de ajudar...
Podemos ajudar mais com o nosso respeito, oferecendo a nossa atenção, mostrando que estamos por perto, mas nunca tentando interferir diretamente, porque achamos que sabemos o que é certo.
O nosso certo pode estar totalmente errado, pode não funcionar em outras pessoas e situações.
Usar a paciência, é "saber esperar".
Só podemos ajudar de fato, quem nos pede ajuda, não adianta forçar uma situação, impor decisões, o amor é ainda, a maior arma de correção, instrumento de transformação, as vezes em companhia da dor, por isso não se assuste.
As mudanças provocadas pelo amor, tem uma grande vantagem: são eternas.
Na dúvida, ame um pouco mais...
publicado por pensamentoslucena às 10:52

Pensamentos, reflexões e otimismo para seu dia!!!
mais sobre mim
Junho 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


links
pesquisar
 
blogs SAPO